Descoberta origem dos meteoros e outros corpos que colidiram com planetas do sistema solar

Migrating planets caused meteor storm

A migração dos planetas gigantes gasosos como Júpiter criaram a maior tempestade de meteoros na história do nosso sistema solar, de acordo com um novo estudo.
A pesquisa na revista Nature Geoscience pinta a imagem mais nítida ainda das causas do Bombardeio Pesado Tardio, uma tempestade cósmica a 3,9 bilhões de anos, que formou o sistema solar que temos hoje.
Os cientistas há muito lançaram a hipótese de que o bombardeio foi causada pela migração planetária, onde Júpiter e Saturno se aproximaram em direção ao Sol, enquanto Netuno e Urano se deslocaram mais para fora de onde se formaram.
Os efeitos gravitacionais causados ​​por essas migrações jogaram um grande número de meteoros em direção ao interior do sistema solar, onde colidiram com os planetas e alguns satélites  incluindo a Terra e a Lua.
A esse movimento também é creditados  o envio de asteróides e cometas para as órbitas que eles tem hoje.
O novo estudo realizado por pesquisadores, incluindo o autor principal, Dr. Simone Marchi do Southwest Research Institute, em Boulder, Colorado, suporta essa hipótese com base em um novo estudo da Apollo 16 sobre rochas lunares, e dois tipos principais de meteoróides.
A alta concentração de metal H-condritos que compõem quase metade de todos os meteoros e meteoritos acredita-se ter se originado na Vesta principal cinturão de asteróides.
Marchi e seus colegas usaram leituras como argônio e seus isótopos para determinar quando os impactos que criaram as amostras ocorreram.
Seus modelos e simulações de computador indicam um período de bombardeio de meteoros intenso no interior do sistema solar entre 3,4 e 4,1 bilhões de anos atrás, coincidindo com o Bombardeio Pesado Tardio.
As leituras do argonio também indicam que as amostras de meteoros só podiam ter resultado de impactos de alta velocidade em excesso algumas superando os 10 quilômetros por segundo.
O apoio para a teoria do Bombardeio Pesado Tardio tinha diminuído depois de revelações de que alguns zircões lunares e brechas foram causadas por impactos com aproximadamente quatro bilhões de anos e as crateras de impacto foram todos derivadas de um único grande impacto conhecido como o Imbrium Basin.
Estas descobertas levantaram a perspectiva de uma idéia alternativa que as datas representam impactos de um bombardeio sem problemas do declínio de sobras de material de construção planetária.
Mas o cientista planetário Simon O'Toole do Australian Astronomical Observatory, diz que o novo estudo aborda dúvidas sobre a migração planetária em nosso sistema solar.
"Os novos cálculos de argônio proporcionaram um resultado importante preenchendo buracos existentes nos modelos de migração planetária para a teoria do Bombardeio Pesado Tardio", diz O'Toole.
"Os modelos anteriores preveram apenas impactos de baixa velocidade com menos de cinco quilômetros por segundo que ocorrem no cinturão de asteróides", diz O'Toole.
"Velocidades mais elevadas teria colocado estes asteróides em órbitas que cruzam planetas, colidindo com planetas e rapidamente esvaziando o cinturão de asteróides".
No entanto, a influência gravitacional dos planetas que migram mudou as órbitas dos asteróides enviando-os muito acima e abaixo do plano da órbita do sistema solar reduzindo os riscos de uma colisão planetária, diz O'Toole.
"[O estudo] fornece-nos com uma boa
pedra base para uma melhor compreensão do sistema solar e como ele chegou a olhar para o que acontece agora."


( via abc.net.au ) e disclose
Share this article :
 
Reações: 

Postar um comentário

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2011. Diversão, informação e muito mais... - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Proudly powered by Blogger